Notícias

Balanço das Exportações e Importações Brasileiras de Rochas Ornamentais no 1º Trimestre de 2017
10/04/2017

Exportações  

As exportações brasileiras de rochas ornamentais e de revestimento somaram US$ 248,75 milhões e 529,7 mil toneladas no 1º trimestre de 2017, com variação negativa de respectivamente 2,79% e 3,93% frente ao mesmo período de 2016. As exportações de rochas processadas (US$ 204 milhões e 311,8 mil t) tiveram variação negativa de 2% no faturamento e 0,6% no volume físico; as rochas Silicáticas e silicosas brutas (US$ 43,4 milhões e 214,1 mil t) registraram recuo de 7,7% no faturamento e de 9,1% no volume físico exportado; as rochas carbonáticas brutas (subcapítulo 2515) somaram apenas US$ 1,4 milhões e 3,7 mil toneladas, apesar de uma variação positiva de 70,2% no faturamento e 72,4% no volume físico exportado.

O preço médio dos produtos exportados teve incremento de 1,2%, passando de US$ 464,1/t no 1º trimestre de 2016 para US$ 469,4/t no 1º trimestre de 2017. As rochas processadas (capítulo 68) registraram variação negativa de 1,43% em seu preço médio, com variação também negativa de 1,3% para as rochas carbonáticas brutas e positiva de 1,6% para as rochas Silicáticas e silicosas brutas (subcapítulos 2516 e 2506). O preço médio dos produtos incluídos na posição 6802.93.90, que representa 57,6% do total do faturamento e 43,5% do total do volume físico das exportações brasileiras de rochas, recuou 4,5%, passando de US$ 651,6/t em 2016 para US$ 622,1/t em 2017. Também continuam declinantes o preço médio dos produtos de ardósia (-6,8%) e de quartzito foliado (-0,2%).

Ou por estar agregando chapas de quartzito, ou por estar incluindo produtos acabados, as exportações pela posição 6802.99.90 registraram incremento de 2,3% em seu preço médio, que passou de US$ 1.942,6/t em 2016 para US$ 1.986,7/t em 2017. Tais exportações somaram US$ 17 milhões e 8,6 mil toneladas no 1º trimestre de 2017, com incremento de respectivamente 90,7% e 86,5% frente ao 1º trimestre de 2016. Sua participação no total do faturamento brasileiro de rochas evoluiu assim de 3,5% em 2016 para 6,8% em 2017.

Estados Unidos, China, Itália, Canadá e México, nesta ordem, constituíram os cinco principais destinos das exportações brasileiras de rochas no 1º trimestre de 2017. Apenas para os EUA, as vendas somaram US$ 162 milhões, perfazendo 65% do total do faturamento das exportações brasileiras de rochas.

Espírito Santo, Minas Gerais, Ceará, Bahia e Rio Grande do Norte constituíram, por sua vez, os cinco principais estados exportadores no 1º trimestre de 2017. Os portos de Santos, Vitória, Rio de Janeiro, Sepetiba e Recife foram os cinco principais pontos de embarque das exportações de rochas, com o porto de Santos novamente superando o de Vitória em valor e volume físico das cargas embarcadas.

Importações Brasileiras

As importações brasileiras de materiais rochosos naturais de revestimento somaram US$ 7,4 milhões e 12,1 mil toneladas no 1º trimestre de 2017. Com uma variação positiva de 2,82% em valor e negativa de 8,86% em volume físico, entende-se o incremento de 12,82% no preço médio dos produtos importados, frente ao 1º trimestre de 2016.

As importações de materiais rochosos artificiais somaram US$ 8,7 milhões e 12,9 mil toneladas, com incremento de respectivamente 0,8% e 12,5% frente a 2016. O preço médio desses produtos teve assim variação negativa de 10,4%, passando de US$ 758,3/t no 1º trimestre de 2016 para US$ 679,3/t no 1º trimestre de 2017.

Comentários

As exportações brasileiras de rochas não evidenciaram capacidade de reação no 1º trimestre de 2017, seguindo a mesma tendência negativa de 2014, 2015 e 2016. Tal desempenho poderá melhorar ao longo de 2017. As importações de materiais rochosos artificiais já superaram, em valor e volume físico, aquelas de materiais naturais, também acompanhando a tendência dos últimos três anos. O preço médio dos produtos artificiais importados teve forte recuo e já se aproxima do preço médio dos produtos naturais. O desempenho das importações ainda não sinaliza a desejada recuperação do mercado interno.  

Números das Exportações de Rochas no Período Janeiro-Março de 2017

  • USD 248,8 milhões de faturamento (-2,8% frente mesmo período de 2016).
  • 529,7 mil toneladas (-3,9% frente mesmo período de 2016).
  • 82,0% de participação de rochas processadas no faturamento (contra 81,3% em 2016).
  • 58,9% de participação de rochas processadas no volume físico (contra 56,9% em 2016).
  • 2,0% de queda no faturamento com rochas processadas.
  • 0,6% de queda no volume físico de rochas processadas.
  • USD 241,4 milhões de saldo na balança comercial.
  • 0,49% de participação no total do faturamento das exportações brasileiras.
  • USD 469,4/t de preço médio das exportações brasileiras de rochas ornamentais, contra USD 316,1/t das exportações gerais brasileiras.

Veja os gráficos clicando no arquivo pdf abaixo.


 

                                                          Voltar …



  • Fornecedor cadastre-se

    Torne-se uma empresa parceira da ABIROCHAS. Conheça as vantagens, benefícios e preencha o formulário de cadastro on-line. Clique aqui.

  • Balança Comercial do Setor de Rochas

    • Período: 01 - 10 / 2017
    • Exportação: US$ 951.008.819,00
      Importação: US$ 28.543.760,00
      Saldo: US$ 922.465.059,00
    • Variação em relação ano anterior (%)
      Exportação: -0,13%
      Importação: +11,09%
    • Clique aqui para ver a planilha
  • Newsletter

    • Receba nossos informativos:
      NOME
      E-MAIL
  • Comunidades Sociais